Blog

ATUALIZANDO

CHAVE DE OURO

Ultrapassamos a barreira de 26 mil visitantes nos variados eventos organizados na Recreio este ano. Nesta oportunidade em que nos aproximamos do encerramento de 2019, acho importante lembrar alguns, dentre tantos. O Gramado In Concert, que aconteceu em fevereiro é um dos eventos do município que mais cresce em termos de público e estrutura.   Com muita alegria, em março sediamos o EBA, Encontro Brasileiro de Animadores e o 41º CONAC, o maior evento de consórcios que reúne anualmente centenas de profissionais do ramo. Os Encontros da Família CNEC, que neste ano foram quatro, são sempre maravilhosos e repletos de carinho, onde pais, alunos e educadores confraternizam em diferentes ocasiões. Além desses, esta tradicional escola realizou a Festa de São João. Em julho, fomos o cenário para o Lions Clube comemorar seus 50 Anos incentivando o espírito de compreensão e os princípios da boa cidadania.     Eventos beneficentes foram realizados durante o ano todo. Promovidos pelo Rotary e Liga Feminina de Combate ao Câncer, o Jantar Homens na Cozinha e o Chá da Solidariedade, tradicionalmente nos envolvem com esse espírito e mobilizam as pessoas. Também no sentido de buscar ajuda a quem precisa, aconteceram o Bazar da Paula Jaeger em benefício ao Hospital São Miguel e o Bazar Mãos Fraternas. Ficamos muito felizes em ser ponto de venda das camisetas da Corrida Pela Vida. Eventos comunitários consagrados como Festa da Paróquia São Pedro, o 8º Maçom Gourmet, 2º REVIVAL DANCE e Baile do Retranca encheram o nosso salão do clube com alegria e brilho da nossa comunidade. Sediamos o Festival da Música,  setembro. No mês de outubro, houve o Desfile da Revista Like, Desafios da Educação e a primeira edição do Mundo Encantado da Recreio para as crianças brincarem com seus pais nesta data especial.     A valorização da amizade, solidariedade, celebração da vida e união entre as pessoas, aconteceram aqui. E por falar em união e celebração da vida... belíssimos casamentos, bodas e aniversários de 15 anos foram celebrados durante o ano todo. Cada um com seu encanto e personalidade percebidos em cada detalhe das festas que foram organizadas. Em novembro, sediamos a festa de abertura do FESTURIS e o Convention & Visitors Bureau promoveu uma grande comemoração aos 20 anos de trabalho, fomentando o turismo de negócios em Gramado e Canela. Pianistas de Bagé, pela segunda vez na Recreio, agora faz parte da programação do Natal Luz. Durante o recital gratuito, 20 pianistas apresentaram um repertório clássico, erudito e impressionista francês, que emocionou o público de diferentes faixas etárias, no mês passado.   Com “chave de ouro” encerraremos a nossa agenda de 2019. No próximo sábado, dia 07 receberemos a Orquestra Sinfônica, com um espetáculo que promete grandes emoções onde toda a nossa comunidade está convidada a assistir e a entrada é gratuita. Dia 12, acontecerá o evento comemorativo aos 65 Anos de Gramado, no dia 17 o Encerramento das Atividades da Secretaria de Esportes e Lazer com jovens promissores da nossa cidade. No dia 19, a inovação com Summit Talks que reúne os principais nomes do empreendedorismo brasileiro para debates e lógicas de negócios do presente e alternativas de futuros possíveis. Para concluir, dia 24 Ceia de Natal e dia 31 a Ceia de Reveillon. Então, esta é a nossa Recreio. O clube com 105 anos, que mescla o antigo com o novo e reúne as pessoas que acrescentam e que ainda tem muito por fazer em nossa sociedade. Eventos culturais, eventos corporativos e eventos sociais. Zelamos pela preservação da nossa história, com as portas sempre abertas para a renovação dos próximos anos. Em nome de toda a diretoria e equipe, agradeço a todas as pessoas que se envolveram na realização de cada momento e aos que dedicaram seu tempo a prestigiar o que aqui aconteceu. Nos vemos em 2020!!  Luis Henrique de Castro Koetz Presidência Recreio Gramadense Gestão 2017 a 2020

RELEMBRANDO

AS MASCARADAS

Uma rica memória, no auge dos seus 93 anos, Lacy Bertolucci Bertoja, a segunda Rainha do clube, contou algumas boas lembranças que viveu na Sociedade Recreio Gramadense. “Desde que eu era muito pequena, lembro-me que minha mãe, Angelina Casagrande, participava de grupos de bolão. De costume, as crianças acompanhavam, para assistirem. Nestes encontros nossas mães também organizavam piqueniques, o que era muito gostoso”.  Há registros que os primeiros grupos de bolão femininos foram criados em 1925, com nomes de Primavera, Bellona, 2 de Outubro, 30 de Setembro e o Rainha da Serra.   Carnaval 1950.  Acervo Pessoal Sérgio Bertoja   “Meu pai também sempre jogou bolão na sociedade, no tradicional grupo Tuyuty.” Henrique Bertolucci Sobrinho dirigiu o clube de 1935 a 1936 e depois, novamente de 1942 a 1944. “Ele foi um homem muito atuante, por duas gestões presidiu a Sociedade. Apaixonado pelo bolão. Às sextas feiras, reunia-se com os amigos dele. Conquistou muitas medalhas e se orgulhava disso. Ele me fazia ir à Sociedade para jogar bolão e eu não gostava nada. Ele insistia por que eu tinha que aprender para não fazer a tal da banda (não acertar nenhum dos nove pinos)”.   Aqulino Libardi, Bruno Riegel,Henrique Berolucci Sobrinho, Cláudio Pasqual, Hugo Daros. Acervo Pessoal Sérgio Bertoja   1943, aniversário de 17 anos Lacy Bertolucci. Acervo Pessoal Sérgio Bertoja   Recorda-se que na infância, quando uma amiga estava de aniversário, as meninas reuniam-se na Recreio, com um bolo bem grande e os meninos levavam gasosa laranjinha do Balzaretti. “Encontrávamos em uma casa e juntos seguíamos para a Sociedade para dançar, nos divertir e festejar com todos os amigos. Era só até às dez horas da noite. Depois os pais vinham buscar e a gente não podia ficar nem mais um pouquinho”. Na adolescência, os encontros eram em matinê dançante. “A gente organizava sempre para poder se encontrar. Parecia uma revoada, quando badalava o sino às seis horas da tarde. O Drecksler tocava violino, o Gersi Accorsi cantava, um menino tocava acordeon e outro tocava pandeiro. Não cobravam nada, mas eu como era muito saliente pegava um chapéu e passava para aqueles que dançavam ou assistiam, contribuírem. Assim os músicos ficavam muito felizes e mais animados”. Naquele tempo existia Tiro de Guerra e os soldados reservistas participavam das festas. “As meninas enlouqueciam com os namoradinhos que vinham de fora, eram rapazes bons!", conta. Lembro-me dos meus pais se preparando para as festas de Reveillon e os bailes de Carnaval. Certa vez, fizeram perucas de algodão no bloco de carnaval,  as fantasias eram muito decentes, de manguinha, nada de decote".  Carnaval 1958, Lacy e Francisco Bertoja. Acervo Pessoal Sérgio Bertoja   Na década de 60, Francisco Bertoja, foi presidente e ela conta que as pessoas que usavam máscaras, no carnaval, tinham que se apresentar para alguém da diretoria para mostrar o rosto e ter autorização para entrar. “Naquela noite eu e mais duas amigas entramos dançando direitinho, com nossas fantasias que mostravam nosso rosto. Depois desaparecemos e fomos para o quarto da tia Rosita, do economato, e trocamos as fantasias. Usamos vestido preto, luvas e meias calças pretas, capuz com umas máscaras pretas, mangas compridas, só com os olhinhos de fora.  Surgiram às mascaradas dançando sozinhas no salão e o pessoal da diretoria vinha perguntar: quem são vocês? Fugíamos, sem falar nada e dando risada... Convidávamos os outros maridos para dançarem e eles ficavam assustados. Sérios, falavam que estavam com suas esposas... Claro que a gente sabia quem poderia chamar para dançar... Fomos descobertas quando resolvi abordar o meu irmão, que nos desmascarou. Foi muito divertido...   Baile das Hortênsias, Lacy e Francisco Bertoja. Acervo Pessoal Sérgio Bertoja   Lacy Bertoja desfilando no Baile do Suéter 2006. Acervo S.R.G.   Foram muitos momentos,  desde o tempo em que a Recreio era apenas um barracão. Além das festas de Reveillon e do Carnaval, Vó Lacy falou com muito carinho sobre os Bailes da Pelúcia, Bailes da Primavera e os Bailes das Hortênsias. “A Sociedade cresceu muito. É um lugar muito distinto, muito bom para se frequentar. Uma beleza. Mas poderiam fazer mais bailes, reunir uma turminha boa de novo, por que ele é pertinho de tudo. É logo ali. Hoje, Gramado é muito grande e a gente não consegue mais conhecer todas as pessoas. Mas, há 40 anos, éramos praticamente uma família só. Não tinha rivalidade. Partido era partido e as pessoas se uniam aqui para melhorar a nossa cidade e para o bem de todos...”        APOIO:      

RELEMBRANDO

A NOVENTINHA

Nosso Conselheiro, Professor Romeo Ernesto Riegel foi o primeiro radialista profissional de Gramado. Quando a Recreio completou 100 anos, ele organizou um trabalho maravilhoso com depoimentos veiculados no rádio durante todo o ano. Seu pai, Bruno Riegel, foi presidente de 1936 a 1937. “A Recreio é muito importante para mim, pois um ano depois da gestão do meu pai como presidente do clube, eu nasci. Existe um vínculo muito particular entre a Recreio e eu”. Na sua infância, Romeo armou pinos de bolão, jogou vôlei e recorda-se das épocas em que comeu salsichas e bebeu cervejas de madrugada, na Recreio, depois das serenatas com amigos. Lembra-se de quando Gramado teve um serviço de alto falante. “Televisores eram raros, então aos domingos à tarde, fazíamos um programa de calouros com muito sucesso, aqui na Recreio. Muitas pessoas sentavam-se na praça para ouvir as apresentações, pois a Sociedade estava lotada. O som propagado pelo alto falante alcançava boa parte da cidade”.   Professor Romeo Ernesto Riegel, Relembrando na Recreio Gramadense.   A seguir, a crônica comemorativa aos 90 anos da Recreio: A NOVENTINHA. "1915 até que não está tão longe quanto parece... E um dos melhores frutos que os gramadenses colhem em qualquer estação do ano é a Sociedade Recreio Gramadense. Nascida para ser vertente de alegria, continua esbanjando simpatia e otimismo. Acolhe sempre que necessário, os filhos seus que estejam carrancudos por motivos de tropeços passageiros ou porque, de repente, tornaram-se inimigos de conhecidos ou amigos de dezenas de anos anteriores. A música de som estonteante, moda hoje, é tão bom remédio para dores de cotovelo ou de frustração, como eram os românticos, suaves e sensuais boleros de antigamente. A Sociedade consolidou-se como templo social de nossa comunidade, por que nunca discriminou uma época em benefício de qualquer outra. Nenhuma geração de sócios foi melhor ou mais brilhante: apenas sonharam diferentes os mesmos e eternos anseios de felicidade e concórdia. Mudou de roupa várias vezes, do alicerce ao telhado. E esteve sempre linda aos olhares dos jovens, famílias ou amigos que, em certa época a fizeram palco de momentos preciosos e inesquecíveis de suas vidas. Para acompanhar as alterações de nossa querida cidade e de nós mesmos, a Recreio foi se fazendo nova, trocando as lamparinas por candelabros, a poeira do chão por mármore importado. Soube espelhar o curso de nossos costumes e de nossa opulência. A Sociedade Recreio conservou, de maneira magnificamente doutrinária, duas características: a de jovem e a de gramadense. É assim por que tornou-se ícone da eternidade que lhe conferimos. ... É a voz que esperamos que cante por séculos afora, guardando para sempre nossas risadas e a singeleza ou a ousadia de nossas esperanças... Esperamos que, tanto ela quanto nós, consigamos dissimular o nervosismo e não dar muito na vista o escandaloso amor que nos une".   Capa do livro "O Espírito de uma cidade: crônicas gramadenses"   Riegel, Romeo Ernesto. O espírito de uma cidade: crônicas gramadenses – Porto Alegre: Entrementes Editorial, 2010. 208p.:il.        APOIO:    



Depoimentos

homem depoimento

LUGAR INCRÍVEL

Desculpem o tom poético, mas falar da Recreio é como falar de uma pessoa... está tão ligado a nossa história e as nossas emoções que se personifica em nossas memórias e em nossos corações de forma amorosa e profunda. Um pedaço de cada um de nós, construída, mantida e renovada por mãos especiais.

MANU DA COSTA
Vereadora de Gramado/2018
homem depoimento

INESQUECÍVEL

Sociedade Recreio Gramadense. O clube vizinho da minha infância, presente no curso de todas as nossas vidas. Naquela sede, antiga ou moderna, vivi grandes momentos. Por haver testemunhado mais de um século as melhores páginas da nossa história, merece todas as nossas homenagens.

JOÃO ALFREDO BERTOLUCCI
Prefeito da cidade de Gramado

Acomodações

icone palco

palco

ícone camarim

camarim

ícone chapelaria

chapelaria

ícone bilheteria

bilheteria

ícone sala de apoio

sala de apoio

ícone sofás e poltronas

sofás e poltronas

ícone toilets

toilets

ícone ar condicionado

ar condicionado