Blog

RELEMBRANDO

FAMÍLIA GRAMADENSE

Em 1965, Jorge Magnus chegou em Gramado para administrar a farmácia do senhor Benno Ruschel. “Ele apresentou-me o clube. Na época o presidente era o senhor Maury Pascoal, grande amigo da juventude, tinha uma postura especial de proteção aos jovens. Lembro-me dele na porta, cumprimentando, recebendo a gente na chegada das festas. Na saída, sempre despedia-se com um abraço. Domingos a tarde na sacada da Recreio os jovens encontravam-se para ouvir músicas em toca fitas de caixinha, tomar refri e às vezes Cuba. O clube primava pela disciplina e comportamento e a diretoria cuidava para que não houvesse baderna. Caso alguém passasse dos limites, levava advertência e até suspensões”.    Aniversário de 15 Anos Maria Delourdes Sbabo. Acervo pessoal   Marli Drecksler, Fátima Cardoso, Maria Delourdes, Margaret Dal Ri. Acervo pessoal   Conheceu sua esposa Maria Delourdes, filha do associado Miguel Sbabo. Ela comemorou 15 anos e debutou na Recreio também. Administrou o Departamento de Promoções no intuito de movimentar o clube.  “Fundamos o bloco de carnaval Crentes da Folia. Era um bloco exuberante! Representamos a Sociedade Recreio Gramadense com uma linda apresentação no clube XV de Novembro, em Campo Bom, o top da sociedade carnavalesca naquela época. Mas o baile de carnaval mais frequentado da Serra Gaúcha era na Recreio. Os blocos ganhavam um final de semana para cada um administrar as bilheterias da boate e angariar fundos, produzir fantasias e investir nos blocos para dar mais brilho ao carnaval”.   Miguel Sbabo e Maria Delourdes Sbabo, Baile de Debutantes, 1962. Acervo pessoal   Baile de Debutantes, 1962. Acervo pessoal   Na fria manhã de 18 de agosto de 1968, foi fundado o Orbis Clube de Gramado. “Por solicitação do amigo gramadense Luiz Prezzi do Orbis de Sapiranga, Clarindo convidou a mim e alguns amigos para uma reunião na Recreio. Quando chegamos, estavam o Prefeito Bepe Perine, Presidente Rugart Volk, entre outras autoridades. No seio da sociedade Gramadense, surgiu o Orbis Clube de Gramado que presta serviço social, amparo aos carentes e estímulo da família contribuindo com o poder público às atividades voltadas para comunidade até hoje” registra.   Casamento Jorge e Ludi, 1969. Acervo pessoal   Recém casados Jorge e Ludi na escadaria da Recreio, 1969. Acervo pessoal   Casamento Jorge e Ludi, 1969. Acervo pessoal   Jorge e Ludi casaram-se em 12 de julho de 1969. “Na época eu trabalhava na Ortopé com Horst, Rugart e Tino Volk. Convidamos mais de 200 pessoas. A comunicação não era tão simples, mas pedi que avisassem um grande amigo que recentemente estava morando nos Estados Unidos. Lembrar da presença do Dinda que veio especialmente de Nova Iorque e nossa eterna amiga Cleusa que sempre esteve conosco, emociona. Fizemos uma festa linda! No mesmo ano, fomos convidados por seu Adail e Dona Zari, Raul e Presilla para participarmos do Bloco dos Velhinhos e nos divertimos juntos por 25 anos”,  conta.   Tradicional foto de casamento na entrada da Recreio, 1969. Acervo pessoal   Mister Suéter, relembra as modas ditadas pelas malharias que se esmeravam para se destacar na vitrine do Baile do Suéter. “Foi uma grande preparação! Marlene, minha cunhada produziu o meu modelo com a supervisão da minha sogra a dona Hortênsia Sbabo e eu fui o campeão! Aqui tivemos a oportunidade de assistir a shows do Agnaldo Rayol e Angela Maria. Momentos espetaculares! Mas, o baile de Debutantes foi o grande charme da Recreio. Uma festa maravilhosa, com muito respeito e carinho. Minha filha Morgana debutou aqui”.   Alexandre, Morgana, Ludi e Jorge Magnus, Baile de Debutantes, 1986. Acervo pessoal   Jorge Magnus envolveu-se na administração da cidade passando pela Câmara, diretoria de parques, praças e esportes. “Acompanho o desenvolvimento de Gramado há muitos anos. O progresso acarretou em algumas mudanças, mas acolhimento e receptividade do nosso povo se mantiveram. A Sociedade Recreio Gramadense tem esta mesma marca registrada”.        APOIO:        

ATUALIZANDO

REVISTA DA RECREIO

Estamos finalizando o primeiro semestre de 2020 e o ano que era para ser incrível repentinamente nos surpreendeu.   Festival da Música   Lições para nossas famílias, nossos negócios, nossa sociedade em geral. Tudo aquilo que fora planejado precisou ser repensado ou adiado.   Casamento Gabriel Swaizer e Daiana Wingert Tissot   A velocidade a qual estavamos acostumados foi forçadamente freada. Fomos obrigados a nos enxergar. E agora, amigo leitor? Como será o final desta jornada?    Casamento Paula Ferreira e Diego Cavalli   Esta publicação que fazemos a cada aniversário do Clube atrasou alguns meses, mas vai servir pra relembrarmos os bons momentos que vivemos em 2019.   Chá da Solidariedade   Foram festas, comemorações e muitos sorrisos. Os momentos de felicidade devem ser eternizados e aqui fica o registro do que passou, do espirito que queremos ainda para 2020.   Aniversário 15 anos Sofia Viezzer Bérgamo   O ano ainda não acabou, temos o segundo semestre de superação para encarar. Da Recreio você pode esperar por muitas novidades. Estamos finalizando grandes obras fisicas e digitais que serão um marco em nossa história. Fique por dentro do que aconteceu e nos acompanhe semanalmente nas nossas redes sociais. Forte abraço e boa leitura.   Ike Koetz Presidência Recreio GramadenseGestão 2018 a 2020  

RELEMBRANDO

PAI E FILHA

A nossa Conselheira Vania Regina Oliveira, em 1967, ganhou o concurso de carnaval vestida de baiana. “Sensação incrível ser o destaque infantil. As fantasias eram muito elaboradas e esse momento gerava grande expectativa” relembra. “A Recreio bate com a história do município. É o início de tudo. A cidade começou com a igreja, a praça e o clube. O título da Recreio era muito desejado. Quem chegava para morar aqui fazia questão de se apresentar como sócio”.   Premiação Concurso de Fantasias Carnaval Infantil Recreio Gramadense, 1967. Foto Acervo Pessoal   “Minha irmã tocou no clube de gaita, mas as minhas maiores lembranças são a partir do ano em que o meu pai foi presidente”, conta. O senhor Elli Soares de Oliveira, foi um dos fundadores do bloco dos Velhinhos e sua gestão foi de 1975 a 1977. “Meu pai se engajou na sociedade através da Recreio. Ele se sentia muito bem aqui dentro. Contribuiu com a visão de um clube social, para a união de uma população. Na Recreio sempre houve neutralidade, um clube apolítico de verdade. Todo mundo falava a mesma língua independente das desavenças partidárias, exceto quando a justiça eleitoral acontecia aqui dentro, nos escrutínios”. Sr. Elli foi político, presidente da Arena e fiscal por muitos anos. “Sabia-se quem votava em cada urna e na medida em que a apuração evoluía do meio pra diante, já se tinha nítida noção do resultado. Tem uma cena que eu lembro quando ele fez uma aposta e ganhou uma boa grana! O resultado alcançou uma diferença de 3 mil e poucos votos”, recorda.  Conta que seu pai gostava de jogar cartas, uma distração aos sábados e domingos. “No andar superior havia sala de jogos e éramos proibidas de entrar. Jogavam valendo dinheiro”. O jogo já era proibido naquela época, como nos dias de hoje, também nos cassinos.  Lembra-se que a Dona Áurea, sua mãe adorava os ensaios de carnaval no ambiente do bolão, mas não gostava dos eventos sociais, nem políticos. “Na ocasião em que o meu pai era presidente ela foi obrigada a vir no Baile de Debutantes e me trouxeram junto. Eu era criança e não podia participar. Mas, havia uma janelinha na parte de cima onde montavam uma área para as debutantes surgirem. Por ali fiquei espiando o baile todo”.    Com amigos no Carnaval da Sociedade Recreio Gramadense. Foto Acervo Pessoal   Aos quatorze anos frequentava os bailes de Carnaval. “Era o melhor carnaval e o único que meu pai permitia! Lembro do Bloco dos Monarcas. Lindíssimo! Não esqueço as costureiras produzindo as fantasias na garagem da casa da dona Hermida.  Figurinos de muito bom gosto, nível de carnaval do Rio de Janeiro. Brilho fantástico, descomunal, com detalhes e acabamento impecáveis”.     Debutantes Sociedade Recreio Gramadense, 1978. Foto Acervo Pessoal    Áurea e Elli Oliveira com a filha Vania, debutante na Sociedade Recreio Gramadense, 1978. Foto Acervo Pessoal    Debutante em 1978, lembra que “Sílvia Zorzanello e Dudi Ribeiro, referências em termos de comportamento social ministraram o nosso curso. Tania Carvalho, amiga delas, palestrou sobre etiqueta social. A Silvia foi o estereótipo de mulher bonita, talentosa, bem sucedida, bem vestida, educada, sociável e muito boa pessoa”, comenta.       Conselheira Vania Regina Oliveira, Projeto Relembrando Recreio Gramadense, 2019. Foto S.R.G   Vania é atuante na diretoria da Recreio desde 1989 e assim como seu pai, contribui com a missão do clube de unir as pessoas. Acompanhou o Projeto Recreio 2000, desde os estudos para a fusão da Recreio ao Tênis, o planejamento e a decisão corajosa de desmontar o clube para construir um novo. “Criamos a comissão da obra. Até 2001 quando reinauguramos foram anos difíceis. Havia o descrédito de que não seria possível concluir a obra nova. Eu acredito que se não tivesse sido realizada essa reforma, hoje não existiria o clube aqui. A condição sustentável veio através dos aluguéis de espaços. Com o passar dos anos, alcançamos um grande número de sócios remidos e poucos pagantes. É muito gratificante ter feito parte desta conquista, com tanta gente que trabalhou duro para que acontecesse. Foi uma grande iniciativa. O pai ajudou o Coletto na parte financeira e vistoriava a obra. O mais importante foi cumprir o acordo que fizemos em desmontar o clube e refazê-lo, enfrentando inúmeros desafios e imprevistos que colocavam em dúvida, por muitas vezes, se teríamos sucesso nessa empreitada. Conseguimos unir a cidade em uma mesma vontade”.        APOIO:      



Depoimentos

homem depoimento

LUGAR INCRÍVEL

Desculpem o tom poético, mas falar da Recreio é como falar de uma pessoa... está tão ligado a nossa história e as nossas emoções que se personifica em nossas memórias e em nossos corações de forma amorosa e profunda. Um pedaço de cada um de nós, construída, mantida e renovada por mãos especiais.

MANU DA COSTA
Vereadora de Gramado/2018
homem depoimento

INESQUECÍVEL

Sociedade Recreio Gramadense. O clube vizinho da minha infância, presente no curso de todas as nossas vidas. Naquela sede, antiga ou moderna, vivi grandes momentos. Por haver testemunhado mais de um século as melhores páginas da nossa história, merece todas as nossas homenagens.

JOÃO ALFREDO BERTOLUCCI
Prefeito da cidade de Gramado

Acomodações

icone palco

palco

ícone camarim

camarim

ícone chapelaria

chapelaria

ícone bilheteria

bilheteria

ícone sala de apoio

sala de apoio

ícone sofás e poltronas

sofás e poltronas

ícone toilets

toilets

ícone ar condicionado

ar condicionado