Blog

RELEMBRANDO

A MÃE PROTETORA DA JUVENTUDE

Iraci Casagrande Koppe, conta que bem no início, os bailes aconteciam no cinema. As poltronas eram retiradas e lá se faziam os Carnavais, Ano Novo e encontros para dançar. “Por muitos anos não existia mais nada além do cinema do Pasqual”, lembra.   Iraci Casagrande Koppe, Relembrando na Recreio Gramadense. Acervo S.R.G.   Depois, a pequena comunidade se mobilizou para que existisse a primeira sede do clube, de madeira, no mesmo local onde está até hoje. “Só entrava quem fosse sócio e estivesse de acordo com os estatutos escritos por João Leopoldo Lied e com base nos documentos da Sociedade Orfeu de Novo Hamburgo, a Sociedade mais antiga do Rio Grande do Sul. É possível notar que Gramado sempre foi diferente dos outros lugares. Educação, respeito, princípios, regras, costumes. Para ser sócio tinha que ser indicado por alguém e teria que ser avaliado por, no mínimo, quatro conselheiros. Esta regra valia para alguém de fora como para quem morava aqui. Os critérios eram muito rígidos”, recorda.   Suzana Strassburger, Iraci Casagrande Koppe e Juliana Koetz, Relembrando Recreio Gramadense. Acervo S.R.G.     Ela afirma que, Dona Osvaldina era chiquérrima e vinda de Novo Hamburgo para a Linha Nova, ensinava às pessoas, mais embrutecidas a se comportarem de maneira mais leve e fina, de acordo com o clube que eles gostariam que fosse. “Ela dizia que uma mulher para ser feliz tem que ter muita criança ao redor e muitas flores. Tenho a certeza de que ela deixou algo muito especial aqui”, comenta. Sempre tivemos torneios de bolão, carteado, ping-pong e havia intercâmbios da Sociedade com os hotéis. Todo o dinheiro que arrecadavam, reinvestiam no clube. “Quando eu era pequena, nas tardes de domingo, a programação era encontrar amigos na Sociedade. O Querino Candiago tocava gaita que era uma beleza. Dançávamos criança com criança, mulher com mulher... e assim eram construídos elos de convivência. Aqui dentro tinha ordem, decência. A Sociedade era uma mãe, a mãe dos jovens, porque ela estava sempre de olho nas atitudes, no comportamento da juventude. A gente se sentia em casa. E os estatutos eram muito sérios. Aqui era o eixo, referência que formava a postura das pessoas”. É claro que os Estatutos já sofreram muitas alterações, e por mais de um século norteiam decisões de Conselhos e Diretorias.     Hotel Casagrande, anos 1930. Acervo Histórico de Gramado (RS)   Postais para divulgação do Hotel Bertolucci, nos anos 40. Acervo Histórico de Gramado (RS)   Reforma na fachada do Hotel Candiago, 1950. Acervo Histórico de Gramado (RS)   Na opinião da Historiadora, a Recreio no seu 3ª prédio de alvenaria, continua bela e jovem, apesar da idade, desejando sempre o melhor para seus associados, mantendo seu espírito de mãe e protetora da juventude de Gramado, graças aos seus antigos estatutos. Atualmente bem mais democrática, a Recreio continua celebrando festas com muito glamour e animação. Promove com requinte a Ceia de Reveillon mais tradicional de Gramado e garante brilho e alegria aos foliões no Carnaval de Salão, todos os anos. “Estou certa de que as pessoas que entram na Recreio, sentem a atmosfera, um filtro natural, nobre, de muita alegria e convívio saudável. Aqui eu aprendi muita coisa boa. Aqui eu formei meu caráter com a ideia que aprendi nos estatutos. Ficava fácil praticar em casa e com os amigos fora daqui”, comenta Iraci. Presentes na leitura e aprovação unânime dos primeiros Estatutos, em alemão e língua portuguesa, estavam: Bruno Boelter, José Nicoletti Filho, Pedro Carrera Filho, Pedro Benetti, Pedro Bertolucci, Antonio Benetti, Augusto Zatti, Paulo Sartori, Luiz Gallo, Domingos Bazzo, Francisco Boscatto e Pedro Dalla Wechio, em 15 de abril de 1915.   Capa Estatutos Sociedade Recreio Gramadense 1944. Acervo S.R.G.   Folha de Rosto Estatutos Sociedade Recreio Gramadense 1944. Acervo S.R.G.   Páginas 4 e 5 Estatutos Sociedade Recreio Gramadense 1944. Acervo S.R.G.   Páginas 6 e 7 Estatutos Sociedade Recreio Gramadense 1944. Acervo S.R.G.   Páginas 8 e 9 Estatutos Sociedade Recreio Gramadense 1944. Acervo S.R.G.   Páginas 10 e 11 Estatutos Sociedade Recreio Gramadense 1944. Acervo S.R.G.     Páginas 12 e 13 Estatutos Sociedade Recreio Gramadense 1944. Acervo S.R.G.   Páginas 14 e 15 Estatutos Sociedade Recreio Gramadense 1944. Acervo S.R.G.   Estatutos Sociedade Recreio Gramadense 1915, versão em Alemão. Acervo S.R.G.          APOIO:        

RELEMBRANDO

A NOSSA SEGUNDA CASA

Raul e Presilla Bazei, segundo alguns registros e incontáveis depoimentos foi o casal que mais dançou em festas na Serra Gaúcha. Relembrando com ela momentos especiais, surgiram algumas histórias do casal que conviveu com amigos na Recreio, por muitas gerações.   Raul e Presilla Bazei. Acervo Pessoal Presilla Bazei   Quando era adolescente, Presilla Benetti morava no centro de Gramado, com sua família, pertinho da Igreja Matriz São Pedro. “Eu e minhas irmãs sempre vínhamos nos bailes da Sociedade Recreio. Chegávamos de manhã cedo do baile direto para a Igreja e só depois da missa íamos para casa dormir”, conta.   Raul Bazei na Quadra de Volei da Sociedade Recreio Gramadense. Acervo Pessoal Presilla Bazei Casou-se em 1960, com o Raul Bazei. “O Raul jogava volei na Recreio, participou por muitos anos do bolão, e adorava encontrar os amigos, no clube. Nosso grupo se reunia sempre”.   Raul e Presilla Bazei com amigos na Sociedade Recreio Gramadense. Entre eles: Maury e Itiberê Pasqual. Acervo Pessoal Presilla Bazei   Raul com amigos na Sociedade Recreio Gramadense. Entre eles: Winfried Volk. Acervo Pessoal Presilla Bazei   Raul, Ilso Tomazelli, Raul Pameggiane, Severino Bazei, Joni Moraes, Schieroldt e Chile na Sociedade Recreio Gramadense. Acervo Pessoal Presilla Bazei   Ela conta que antigamente em Gramado, havia um problema no Carnaval e que as pessoas ficavam ao redor e não entravam no salão. “O Bloco da Dona Jóia formou um grupo e começaram a entrar para dançar no Carnaval. O pessoal bebia e ficava parado em volta do salão. A Diva Dal Ri, a Lurdes Dalle Molle, a Beraci, fundaram os Verdugos, antigo Bloco dos Velhinhos Transviados”. O casal foi um dos fundadores, “participamos 50 anos direto do Bloco Velhinhos Transviados. Não perdi nenhum carnaval, nem quando estava grávida”.   Raul, Nelson Benetti, Tino Volk, Itiberê e Winfried na Sociedade Recreio Gramadense. Acervo Pessoal Presilla Bazei   "Eu fiz praticamente todas as minhas fantasias de Carnaval”, lembra-se. Algumas delas foram Presidiários, Palhaços, Marinheiros, Ciganos, Charles Chaplin. “A gente se divertia muito. Organizávamos jantares uma vez por mês em lugares diferentes, mas sempre reunidos com os amigos". Foram presidentes por 6 anos e conta que viajaram, dançaram e aproveitaram muito. “O Raul estava sempre pronto para dançar, ele tinha esse compromisso, precisava batucar, tocar o bumbo. Não faltamos nenhum Baile de Carnaval. Claro que houve atritos, também. Algumas pessoas não permaneceram. O Bloco sempre foi muito de família. Preservávamos a amizade acima de tudo. Diversão com muito respeito, protegíamos uns aos outros”.   Bloco dos Velhinhos Transviados na Sociedade Recreio Gramadense. Acervo Pessoal Presilla Bazei  Bloco dos Velhinhos Transviados na Sociedade Recreio Gramadense. Acervo Pessoal Presilla Bazei   Bloco dos Velhinhos Transviados na Sociedade Recreio Gramadense. Acervo Pessoal Presilla Bazei   Bloco dos Velhinhos Transviados na Sociedade Recreio Gramadense. Acervo Pessoal Presilla Bazei   Viajavam todos os anos, com este tradicional grupo de amigos que surgiu na Recreio. “Decidíamos o destino por votação e a maioria, vencia. Muitas vezes fomos para as cabanas no Gravatal, ao Uruguai, à Argentina. Muita música, violão, gaita. Fazíamos uma boa festa, de verdade. O hotel que nos hospedava organizava bailes à noite e o pessoal terminava as festas atirando-se nas piscinas. Bagunça durante o dia e à noite, rodeados por amigos com energia para aproveitar cada minuto”.   Acervo Pessoal Presilla Bazei Conta que sem o Raul, não participou mais. “Ele amava tanto o bloco... No último Carnaval, quando estava internado, implorou para que os médicos o deixassem sair. Queria rever os amigos neste momento que era tão importante para ele. Eu providenciei então a fantasia dele e fugimos do hospital. Quando chegamos, os amigos subiram com ele e colocaram o bumbo em uma mesa em frente ao palco. Ainda conseguimos dar uma volta no salão. Feliz da vida, Raul tocou mais um pouco enquanto podia. Ele partiu exatamente no dia da primeiro jantar do bloco daquele ano, em março. Os amigos estavam reunidos, fantasiados e quando ficaram sabendo, foram se despedir. Colocaram o bumbo pertinho dele e então eu acho que ele finalmente descansou em paz”.  Presilla e Raul Bazei. Acervo Pessoal Presilla Bazei   Presilla lembra que Raul foi apaixonado pela Recreio e pela dança. Participaram de todos os Bailes de Debutantes, pois todas as filhas e sobrinhas debutaram. "Cassino de Sevilha, Francisco Petronius, foram inesquecíveis e maravilhosos. O Raul dançava de coração, de alma. Parece que a música entrava nele. Ele sabia os passos certos e eu o seguia no embalo da música. Por muitos anos a Recreio foi a nossa segunda casa”.         APOIO:      

ATUALIZANDO

O MUNDO ENCANTADO DA RECREIO

A consagração de alguns eventos que idealizamos foi uma grande conquista. Mesmo não executando a ideia inicial de promovermos um evento por mês, criamos um por ano e nos dedicamos para repetir no ano seguinte. A Ceia de Reveillon e os Bailes de Carnaval de Salão, infantil e adulto que já faziam parte do calendário foram aprimorados e incentivados ainda mais. A ideia é crescimento gradativo de retorno, oportunizando o encontro da sociedade gramadense num espaço que é seu e foi criado para isso. No primeiro ano de gestão promovemos os Pianistas de Bagé, repetido no segundo ano e acontecerá neste ano novamente, como um evento cultural clássico dirigido à nossa comunidade. No segundo ano criamos o Revival, que foi sucesso absoluto, repetimos esse ano e já está incluído no calendário 2020, também.     Em 2019, terceiro ano da nossa diretoria, preparamos com muito carinho o evento alusivo ao Dia das Crianças que definimos como O Mundo Encantado da Recreio. Comandado pela Cia Prof. Jana, conta com as super atrações de A Turma da Cozinha, Cia Lúdica e Gatto e Topo.   Mickey e Sua Turma, Cia Prof. Jana. Foto Divulgação     Proporcionando encontro entre as famílias, o evento acontecerá na Sociedade Recreio Gramadense, no dia 14 de Outubro, segunda feira, das 14h às 18h ao preço especial de 10 reais por pessoa.   Turma da Cozinha. Foto Divulgação    Entre as atrações, show com a Banda da Cia Lúdica, Mickey e sua Turma, Camarim Infantil, Jogos e Brincadeiras, Oficina de Culinária, Cientista Maluco e sua Máquina de Pintura, Fábrica de Brinquedos, Cama Elástica e Piscina de Bolinhas.   Cia Lúdica. Foto Divulgação   Durante todo o evento poderão ser adquiridos lanchinhos especialmente preparados para os pequenos, em praça de alimentação. A ideia do Dia das Crianças, em O Mundo Encantado da Recreio é confraternizar e rever os filhos dos amigos em ambiente de pura diversão. Faremos uma comemoração muito especial com a proposta de que as famílias sintam-se como se estivessem na sala de sua casa.   Mickey, Branca de Neve, Minnie, Cia Prof. Jana. Foto Divulgação   No próximo ano, 2020, programamos mais um evento para o calendário, totalizando assim, seis eventos sociais por ano, com objetivo de aproximar a sociedade. Os novos eventos na agenda propõem encontros da comunidade no clube. É nosso compromisso resgatar essa cultura de encontrar os amigos por aqui. Luis Henrique de Castro Koetz Presidência Recreio Gramadense Gestão 2017 à 2020           



Depoimentos

homem depoimento

LUGAR INCRÍVEL

Desculpem o tom poético, mas falar da Recreio é como falar de uma pessoa... está tão ligado a nossa história e as nossas emoções que se personifica em nossas memórias e em nossos corações de forma amorosa e profunda. Um pedaço de cada um de nós, construída, mantida e renovada por mãos especiais.

MANU DA COSTA
Vereadora de Gramado/2018
homem depoimento

INESQUECÍVEL

Sociedade Recreio Gramadense. O clube vizinho da minha infância, presente no curso de todas as nossas vidas. Naquela sede, antiga ou moderna, vivi grandes momentos. Por haver testemunhado mais de um século as melhores páginas da nossa história, merece todas as nossas homenagens.

JOÃO ALFREDO BERTOLUCCI
Prefeito da cidade de Gramado

Acomodações

icone palco

palco

ícone camarim

camarim

ícone chapelaria

chapelaria

ícone bilheteria

bilheteria

ícone sala de apoio

sala de apoio

ícone sofás e poltronas

sofás e poltronas

ícone toilets

toilets

ícone ar condicionado

ar condicionado