RELEMBRANDO

50 ANOS DE CASAMENTO

Pedro Henrique Bertolucci e Susana Willrich casaram-se na Igreja Matriz São Pedro, no dia 10 de janeiro de 1970. A festa e o cartório foram na Sociedade Recreio Gramadense. Meio século de vida a dois geraram três filhos e netos. Relembrando com Pedro Bertolucci é ilustrado com imagens de acervo pessoal, da festa que aconteceu aqui e conta um pouquinho sobre uma vida que começou na Recreio há mais de cinco décadas atrás.

 

Gramado, 1970. Casamento na Recreio. Foto: Álbum da Família 

 

Pedro começou como armador do grupo de bolão Castelo. Participou do Departamento Social na década de 60 e como Conselheiro de 1967 até 1971. Sucessor de Clarindo Tisott, foi o segundo presidente do Orbis Clube de Gramado, que assim como os demais Clubes de Serviço, surgiu aqui na Recreio.

 

Daminhas: Eloisa Bertolucci, Carla Zatti Haas, Ana Rita Brentano, Andrea Perine, Silvana Brock. Foto: Álbum da Família  

 

Gramado, 1970. Casamento na Recreio. Foto: Álbum da Família

 

“Como Presidente do Grêmio Estudantil, organizei muitos Bailes dos Estudantes junto com a minha grande parceira, a Sílvia Willrich e com a Susana que mais tarde tornou-se minha esposa. No tempo em que eu era açougueiro, saía do trabalho, tomava banho e vinha para cá namorar a Susana”, conta.  

 

Gramado, 1970. Casamento na Recreio. Foto: Álbum da Família  

 

“Desde cedo promovemos Gramado, no braço. Enfeitávamos a Sociedade, buscávamos inspiração no DNA de quem construiu a nossa região na década de 20, chegando de trem para morar aqui. Juntos, montamos imensas decorações com hortênsias desde a rua, calçada e até dentro do salão. Cerca de quarenta jovens trabalhavam conosco e lembro-me que tínhamos todo o cuidado para colher sempre as flores de trás, nunca às da frente, para não comprometer o visual da cidade. Fizemos túneis, arcos, cada ano de um jeito diferente. Promovíamos reuniões dançantes e vários atividades a que se propunha um clube social. Outro grande acontecimento foram Bailes de Debutantes. A gurizada era festeira e eu não perdia um! Eu vim a quase todos e dancei com a Susana, no primeiro, quando ela debutou”.

 

Gramado, 1970. Casamento na Recreio. Foto: Álbum da Família  

 

Segundo ele, “quando Sílvia e eu fomos diretores sociais, fizemos uma grande mudança dentro do clube incentivando a participação da comunidade nos blocos de carnaval. Surgiram então o Apito do Samba, Monarcas do Ritmo, Crentes da Folia, Prá que Dinheiro. Os blocos tiveram uma função importante em trazer as pessoas para o convívio social. Serviram de caminho para interação da juventude. Aproximaram as pessoas que moravam afastadas do centro, em outros bairros ou eram de fora da cidade. Movimentamos também na recreação esportiva. Organizamos o primeiro Campeonato Municipal de Futebol de Salão, pois o esporte também unia as pessoas. Foi aqui que iniciou minha vida política”, conta. 

 

Gramado, 1970. Casamento na Recreio. Foto: Álbum da Família  

 

A Recreio tem o contexto da história da nossa cidade no aspecto social, político, turístico e cultural”, comenta. "A união das pessoas no clube, naquela época é um exemplo de como o gramadense se posicionou durante muito tempo; como se Gramado fosse o seu sobrenome". Recorda-se que no tempo em que foi Conselheiro, muitas questões municipais e assuntos da comunidade que transcendiam o espaço da Recreio, foram debatidas no clube com membros da comunidade influentes e com a participação ativa. “Decisões importantes foram tomadas aqui”, justifica. “Desavenças políticas eram ferrenhas, pois desde a emancipação sempre houve dois lados e isso nunca pesou aqui dentro".

 

Gramado, 1970. Casamento na Recreio. Foto: Álbum da Família  

 

"Apurações de votos, na época em que concorri a Prefeito, as cerimônias de posse na primeira e segunda vez em que fui eleito, aconteceram aqui". Os escrutínios foram uma eleição à parte. “A Recreio foi um ambiente político importante, com muito voto discutido no grito e defendido pelos fiscais de cada partido”

 

Gramado, 1970. Casamento na Recreio. Foto: Álbum da Família  

 

Existe uma galeria de personalidades com papel fundamental no desenvolvimento de Gramado, assim como Pedro Bertolucci que muito trabalhou pela cidade. “Cada um na sua época e com os seus desafios”, como ele diz. “Nossa cidade é diferente, por que o nosso povo é diferente. A sensação de pertencimento e paixão que temos pela nossa terra foi o que nos trouxe até aqui. Deixar um legado e abrir caminhos para que outros possam seguir é importante, mas é preciso estar atento aos ajustes. Acho que o que nos alimenta são os nossos projetos e me dedico há muitos simultaneamente. Se vão acontecer todos, eu não sei, mas temos que ter vários e persegui-los. Meu pai sempre dizia: Nunca perca a cisma e segue em frente”

 

 

  

APOIO: