ATUALIZANDO

EVENTO TESTE

Esta semama participamos do treinamento com protocolos para novos eventos aqui no Rio Grande do Sul. O evento, no Wish Serrano, envolveu autoridades de Gramado, Canela, São Francisco de Paula e Nova Petrópolis com objetivo de provar que somos um destino seguro e que podemos trabalhar de forma responsável.  As palavras do presidente do Convention & Visitors Bureau Gramado, Eduardo Zorzanello, que passou o cargo para o Enzo Arns foram brilhantes, afirmando que está comprovado que eventos digitais não substituirão os eventos presenciais. E nós como, Gramado, temos o dever de mostrar para o Brasil e para o mundo que somos inovadores e inquietos.    Eliana Wazlawick e Ike Koetz   A série de protocolos e cuidados foi redobrada. Todos os modelos de negócio precisam ser repensados rapidamente para continuarem existindo. Esse é o início de uma nova visão no que diz respeito à organização de eventos.   Formatura UNOPAR, Evento Teste no Wish Serrano. Foto: Ike Koetz   A Recreio Gramadense deixou de realizar mais de 40 eventos este ano. O impacto no setor foi absurdo. Recebemos diariamente, ligações das pessoas que trabalham nesse setor que foi duramente atingido. Este mês sediaremos o evento organizado pela Gramado Summit com o ex-corretor da Bolsa de Valores de Nova York Jordan Belfort, o O Lobo de Wall Street, comprovando que podemos encontrar o equilíbrio entre saúde e economia. Não podemos ficar parados.   Formatura UNOPAR, Evento Teste no Wish Serrano. Foto: Ike Koetz   Com responsabilidade e muita força de vontade vamos sair dessa. Estamos trabalhando para finalizar o ano de maneira um pouco mais digna. Forte abraço.   Ike KoetzPresidência Recreio GramadenseGestão 2018 a 2020

RELEMBRANDO

CASAL RECREIO

João e Aparecida dedicaram-se à Recreio por muitos anos. O ex-presidente João Benetti, dirigiu o clube de 2003 a 2015. Mas esta relação começou muito antes. “Eu trabalhava na Gráfica Stella e participava das turmas que armavam pinos em troca de pastel ou sanduíche. Lembro-me do Departamento Jovem da Recreio, na década de 80: Vonei Benetti, Viviane Tomazelli e Paulinho Volk que havia voltado da Bahia e trouxe o evento chamado Noite do Beijo. A ideia da festa era assim: a meia noite apagavam-se as luzes e beijávamos quando estávamos dançando”, conta João.   Carnaval Recreio Gramadense. Foto: arquivo pessoal   Carnaval Recreio Gramadense. Foto: arquivo pessoal   Aparecida Oaigen cresceu no clube. “Eu e meus irmãos sempre tivemos uma vida muito participativa com nossos pais na sociedade. A nossa história na Recreio é de um zelo muito grande. Todas as minhas irmãs debutaram e eu não quis ser diferente. Debutei no ano que meu pai foi presidente do clube e foi muito marcante”, lembra ela.   Com os filhos Lucas e João Pedro. Foto: arquivo pessoal   O casal começou a namorar aqui, no carnaval da Recreio, há 35 anos atrás. “Em uma noite de Gramado Fest, fui surpreendido, convidado para fazer parte da diretoria”, conta João. Aparecida reforça: “Como recusar esse convite, considerando toda a história de vida dos meus pais no clube? Por doze anos, eu e João vivemos a na presidência do clube. Os meninos eram pequenos e o mais novo vinha com travesseiro para cá. Colocávamos colchonetes, televisão, videogame. João quando era jovem foi discotecário, eu já fui vocalista de uma banda. Somos uma família muito ligada à música. Nosso filho mais velho, o Lucas Benetti, hoje é DJ. Ele cresceu convivendo conosco, nas festas, colocando som nos eventos. Hoje toca em inúmeros lugares e a base foi aqui dentro”, diz ela.   João e Lucas Benetti com o sr. Pedrinho, tradicional garçom nos eventos na Recreio. Foto: arquivo pessoal   A festa mais especial comemoração foi na noite dos 90 anos, inesquecível. “Trancamos as ruas de Gramado e estendemos um tapete vermelho para os convidados no trajeto. Lançamos o livro Eterna Recreio, com a Tia Iraci, Gilberto e Romeo Riegel. Na inauguraçao do Salão Verde, homenageamos o senhor Antoninho Barbacovi. Esta obra foi uma importante iniciativa na nossa gestão. Com o projeto da arquiteta Tati Ferreira, desenvolvemos um ambiente aconchegante para o sócio aproveitar o espaço para eventos de pequeno porte. O lustre, as cortinas, acústica do telhado e aquisição de cadeiras de ferro, com muito esforço, conseguimos comprar”, diz João.  Aniversário de 90 anos da Recreio. Foto: S.R.G   Com sr. Eddi Oaigen, representado os ex-presidentes no aniversário de 100 anos da Recreio. Foto: arquivo pessoal   Organizaram algumas edições do Gramado Fest. “Evento de destaque, que reunia as famílias tradicionais da cidade. Realizamos também o último baile do suéter”. Além de festas para receber a comunidade, houve o trabalho de campo realizado em sua gestão. “Fui a Porto Alegre com a Eliana, muitas vezes, visitar empresas que organizavam eventos, levando nosso material e caixinhas de chocolate. De porta em porta... Eu e a Eliana íamos nas casas dos conselheiros levar a convocação e os eventos também divulgávamos assim”, recorda-se o ex-presidente e conclui: “Até hoje me chamam o João da Recreio. Temos boas lembranças, muitos amigos conquistados aqui dentro. É o coração da gente. Tenho grande satisfação em contribuir na trajetória durante 15 anos do clube. Deixar um legado da nossa colaboração a nível de família. Sempre estivemos juntos e com amigos que trabalharam com amor. Vida longa a Recreio!”     Sessão solene da Câmara na Recreio, comemoração 100 anos. Foto: arquivo pessoal           APOIO:            

RELEMBRANDO

A NOVA CASA

Final dos anos 80. O cenário de eventos em Gramado se desenvolveu como nunca. É incalculável o fomento do turismo local, assim como a geração de renda e empregos para toda a região. A cidade se especializou em receptivos e abriu centenas de oportunidades de trabalho.    Cenário Recreio Gramadense, 1987. Foto: Bonfanti     Grandes empresas se destacam neste período Brocker Turismo, Rasen, Sierra Móveis, Rede Laghetto, Gramado Parks, Gramado Summit. O potencial visionário dos empreendedores,unido ao amor por nossa cidade, consolidou a marca de Gramado. E muitos deles se relacionaram no ambiente familiar e apartidário da Recreio, confraternizando no coração do município. Proporcionando espetáculos de encanto e emoção, Luciano Peccin criou o Natal Luz em 1986, aprimorando o turismo em uma época de pouca visitação. O maior evento natalino do Brasil atraiu público recorde para a Região das Hortênsias. O mercado gastronômico e hoteleiro cresceu em quantidade e qualidade. No final dos anos 80, brilhantes empresárias Marta Rossi e Sílvia Zorzanello lançaram a primeira edição do Festuris - Feira Internacional de Turismo, promovendo negócios turísticos no mundo todo. Em 1994, conceberam o primeiro Chocofest, trazendo milhões de turistas no período de Páscoa. Complexos para eventos e centros de convenções foram construídos para receber os mais diversos públicos em extenso e interessante calendário.   Recreio Gramadense 2000. Foto: Acervo S.R.G.   Vivemos outro momento, quando é imprescindível se reinventar. Transformações sociais, culturais e econômicas na nossa cidade geraram a necessidade de mudar a estrutura e remodelar o formato comercial do clube. O projeto Recreio 2000 garantiu o espaço da sede adequado para realização de eventos no espaço histórico que é referência no Rio Grande do Sul, até os dias de hoje. Confira o resumo dessa transformação.    Paulo Roberto Volk, Presidente da Sociedade Recreio Gramadense, 1989 até 1993. Empresário da indústria calçadista. Times de vôlei em destaque.  Bailes de Debutantes. Baile em parceria com Gramado Cross Clube. Gramado Fest, Baile Municipal de Carnaval, nascem os blocos Quereu Bebeu e Os Bundinhas. Jantar Show com a cantora Rosana. Noite do Beijo. Incentivo para novos associados participarem de grupos de bolão. Escrutínios. Posse do Prefeito Nelson Dinnebier. Jantar baile décadas de 60/70. Baile de Reveillon em conjunto com Tênis Clube. Situação precária nas estruturas do prédio. Estudos para fusão com Gramado Tênis Clube, Tiro Caça e Pesca ou Gramado Cross pela área global disponível para prática de esportes. Realização do 1º Campeonato Municipal de Xadrez, Departamento de Karatê dirigido por Ernani Broilo. Show do Francisco Petronius, Chitãozinho e Xororó, Mercedes Sosa. Conselho Diretor: André Pasqual, Francisco Terres da Luz, Maurício Casagrande, Poti Castilhos Ferraz, Rogério Ramm, Álvaro Masotti, Alexandre Wilges, André Tisott, Lourenço Belotto.   Alemir Klüsenner Coletto, Presidente da Sociedade Recreio Gramadense, 1993 até 2001. Engenheiro civil. Carência de espaço esportivo e ideia de fusão cada vez mais longe desenvolve Projeto Recreio 2000, transformando a sede em um clube moderno. Escrutínios. Posse do Prefeito Pedro Henrique Bertolucci. Locação ACIG no antigo espaço da boate. 7º Gramado Fest e o sucesso do concurso de chopp em metro. Seleção de Bolão participa de semi final em NH.  Departamento de Karatê Neloir Vettorazi. Campeonato Estadual de Bocha, em parceria com Minuano. Bailes de Reveillon realizados no Serra Azul e Serrano, com descontos especiais aos sócios. Comercialização da parte dos fundos do clube. Construção da nova sede.Gramado Fantasia na Rua Coberta. Bailes de Debutantes realizados nos hotéis Serra Azul e Serrano. Aniversário de 80 anos e despedida das antigas instalações. Baile de Debutantes realizado no Hotel Serrano. Espaços para locação. Iriu’s Buffet assume como ecônomo em novo formato. Carnaval com sucesso e surgem os blocos 100 Juízo e Sópranóis. Inauguração oficial da nova sede. Recreio 2000 foi o projeto de viabilização econômica que transformou a realidade do clube. Alterações nos Estatutos. Comissão para Administração de Recursos Financeiros, Comissão de Obras e Comissão Técnica: Maristela Tomazelli, Rogério Hugo Ramm, Ricardo Peccin, Álvaro Masotti, Fábio Bertoluci. Conselho Diretor: Ronaldo e Michele Pinheiro, Jorge e Dudi Ribeiro, Júlio Manoel e Roselaine Cardoso, Dagmar e Clara Schmitt, Adriano Bonattoe Cristina Petersen, Jorge Barbacovi e Márcia Maldaner, Fábio Bertoluci, Argus Velausen, José Inácio Barbacovi, Gilberto Drecksler e Iraci Koppe, Rogério Ramm.   Ronaldo Hoff Pinheiro, Presidente da Sociedade Recreio Gramadense, 2001 até 2003. Bacharel em Direito. Sucesso estrondoso no baile de Reveillon e Carnaval. Finalizaram o pagamento dos investimentos relativos à execução da obra restabelecendo a situação financeira do clube. Bailes de Formatura, Jantares Destaque, Festa Jovem Ellite Models, Baile do CTG Manotaço, Comenda do Verde e do Clube de Tiro Caça e Pesca e muitos casamentos. Posse do Prefeito Pedro Henrique Bertolucci. Aquisição de equipamentos de informática e acabamentos internos e externos e sistema de climatização. Inauguração do memorial dos Presidentes. Gramado Fest, 9ª edição, continua sendo um grande sucesso. Conselho Diretor: Everaldo de Moura e Carla Sander, Julio Manoel e Roselaine Cardoso, Fernanda Masotti, Heitor Strey, Nara Frank, Eliana Wazlawick.   João Luis Benetti, Presidente da Sociedade Recreio Gramadense, 2003 até 2015. Corretor de Imóveis. Festa em comemoração aos 90 anos do Clube inesquecível repleta de homenagens. Lançamento do livro “Eterna Recreio”. Aniversário do CTG Manotaço, Gramado Fest. Aquisição de lustre, cortinas e mobiliário. Bailes de Carnaval, Festas de Casais Reviver a Recreio. Festas do Festival de Cinema. Chá da Solidariedade, Feijoada do Bem, 1ª edição da Liga de Combate ao Câncer. Reveillon reunindo famílias locais e turistas. Investimentos em infraestrutura como troca do telhado para melhorar acústica. Comemoração 100 anos. Alterações nos Estatutos. Construção do Salão Verde com espaço gourmet. Locação de espaços do clube para Caixa Econômica, Bingo, Pizzaria Manggia Metro, Toca da Bruxa, Fancy Longe Club, Intelimagem. Conselho Diretor Tatiana Ferreira, Dagmar e Clara Schmitt, Airton e Sônia Fleck, Heitor Strey e Nara Franck.   Genedy Moraes, Presidente da Sociedade Recreio Gramadense, 2015 até 2017.   Engenheiro mecânico. Reformas na estrutura da cozinha. Escada de emergência, um dos limitativos da capacidade do salão, que após a tragédia da Boate Kiss, ficou em 450 pessoas, aumentando na capacidade populacional para 750 pessoas. Comunicação social atualizada. Adequação do PPCI. Realização de muitos eventos corporativos. Sediou vários eventos culturais, musical Belle E’póque. Bailes de Carnaval e Reveillon, Aniversário do Clube, Homens na Cozinha, Chá da Solidariedade, Baile do Retranca com muito sucesso. Locação de espaços para Fancy Club e Intelimagem. Conselho Diretor: Ike Koetz, Evair Elias de Moura, Cristian Berti, Felix Salomon, Goldo Schmitt, Lucas Oaigen Benetti.   Ike Koetz, Presidente da Sociedade Recreio Gramadense, 2017 até 2020. Empresário. Adequação técnica de reestruturação de rede elétrica. Festa Revival Dance anos 70, 80 e 90 com sucesso absoluto. Projeto "Relembrando" resgata a história do clube. O Mundo Encantado da Recreio, dirigido às crianças envolvendo famílias da comunidade. Show Tiago Iork. Palestra Papai é Pop com Marcos Piangeres. Sede de eventos culturais como Gramado In Concert, Festival da Música e Pianistas de Bagé. Jantar Homens na Cozinha, Chá da Solidariedade, Baile do Retranca. Parceria com Corrida Pela Vida, Dia de Doar. Festas do Festival de Cinema e Festival de Turismo e eventos corporativos. Recreio na Folia, carnaval com recepção da Corte. Rainhas do Carnaval Andréia Coletto e Fernanda Schonardie. Surge o bloco de carnaval Rebloco. Ceias de Natal e de Reveillon agregam famílias de todo o Brasil. Readequação da identidade visual e atualização da comunicação social. Instalação do elevador e outros projetos em evolução. Regras de distanciamento social COVID 19, bloqueiam a realização de eventos no decurso de 2020.  Conselho Diretor: Bruno Coletto, Cristian Berti, Jorge Barbacovi, Mário Vidor, Rodrigo Vogt, Lilian Casagrande Koppe, Gabriela Ruschel Michaelsen, Eliana Wazlawick. As pessoas que participaram dos Conselhos Deliberativos e Fiscais foram fundamentais, respeitando normas de organização, operação e administração. Os Conselheiros que guiaram a trajetória do clube, registraremos em futuras edições. Os detalhes de como tudo aconteceu, seguiremos "Relambrando" aqui no Blog da Recreio.        APOIO:        

RELEMBRANDO

MISTER SUÉTER

Jorge Bertoluci é neto de dois ex-presidentes da Recreio. “Henrique Bertoluci Sobrinho, o vô Henriqueto foi presidente duas vezes, de 1935 a 1936 e depois de 1942 a 1946. Lembro-me de assistir as competições quando ele jogava bolão. Leopoldo Rosenfeld, meu avô materno foi presidente de 1948 a 1949. As primeiras lembranças são da infância, quando íamos à missa aos domingos e depois, assistíamos ao torneio de futebol de salão na cancha de asfalto, atrás da Recreio. Morávamos ao lado Parque Hotel e vínhamos a pé, com meus pais. Os tempos da minha adolescência a vida era muito tranquila. Frequentei Carnaval e Baile de Debutantes. Pouco vim à Boate da Recreio, pois nessa época estudava em Porto Alegre e quando voltava para Gramado, trabalhava na Annerose e ficava muito cansado para sair a noite”, conta. A era das malharias em Gramado começou na década de 60.“Minha mãe, Annelies Rosenfeldt Bertoluci através da Annerose fomentou o trabalho do setor econômico que durante muitos anos foi fundamental para nossa cidade. Gramado chegou a ter mais de 100 malharias, além das artesãs. Na década de 70, abríamos a loja e ela ficava lotada o dia todo. Muitas pessoas começaram a profissão com minha mãe. Famílias inteiras sobreviviam com o trabalho nas malharias, pois empregávamos muitos jovens e mulheres. Odete Forner era nossa melhor vendedora”, lembra. Arlete Bertolucci e Liége Maria Zatti, final da década de 60, Baile do Suéter Recreio Gramadense   Nas noites geladas de inverno, acontecia o inesquecível Baile do Suéter quando a sociedade desfilava pulôveres delicados e suéteres produzidos com esmero e capricho. Troféus e muitas palmas faziam parte da festa que promovia o concurso de Miss e Mister Suéter. “Eu tive a felicidade de ser Bi Campeão Mister Suéter. Obtive o título por dois anos seguidos, bem no auge desse período. Usei um modelo verde limão, muito bonito que a minha mãe criou especialmente para o baile. Outra ocasião vesti uma peça com a estampa de águia alemã nas cores preto, branco e vermelho. Certa vez, fomos por conta da Prefeitura de Gramado divulgar a cidade, todos de suéter no Programa do Mendes Ribeiro na Rádio Gaúcha e na oportunidade conheci o estúdio de rádio e esta grande figura jornalística”, recorda-se.   Arlete Bertoluci, Liége Maria Zatti, Elóide Muller, Jorge Bertoluci, Carlos Benetti e Magda Neves.   Outro capítulo que ele participou está relacionado à política Gramadense e as folclóricas apurações de forma manual nas eleições, centralizadas aqui. “Passava a noite ao redor dos fiscais da mesa discutindo para quem seria validado tal voto. Terminava a eleição, traziam todas as urnas para cá e por volta das 21h, começavam a contagem que varava noite até a manhã do dia seguinte. O partido que ganhava fazia uma grande festa, saindo em carreata com os simpatizantes. Naquela época havia alternância entre Pedro Henrique Bertoluci e o Nelson Dinnebier. Época emocionante em termos políticos com momentos decisivos dentro da Recreio”, registra.   Jorge Bertoluci e Ike Koetz, Relembrando na Recreio Gramadense   Jorge lembra quando trabalhou na comissão de festejos aos 25 anos emancipação de Gramado. “Encerramos os protocolos com os ex-prefeitos trazendo um grande bolo e todos cantando parabéns e a comemoração seguiu com um lindo baile. Aqui também joguei torneio estadual de xadrez e lembro-me de um baile quando a cantora Perla fez um espetáculo. São ótimas lembranças, momentos especiais. Esse clube é um fenômeno, pela conservação e por sua idade. O antigo salão e o atual são muito parecidos. A mudança com este profissionalismo que foi instituído é a garantia de continuidade das atividades. Tenho certeza que ficará na mente, principalmente das pessoas da minha geração”.      APOIO:      

ATUALIZANDO

O LOBO DE WALL STREET

Quando retomarmos o fluxo normal, em todas as atividades do mercado a economia precisará de profissionais ainda mais criativos e qualificados. O momento pede reinvenção e gerar resultados, agora mais do que nunca, implica na capacidade de negociação. Em curso presencial, limitado e exclusivo no Brasil, Jordan Belfort, o Lobo de Wall Street, ensinará como crescer na crise e desenvolver relacionamentos com clientes e empresas de todos os mercados e tamanhos.     Antecipamos alguns assuntos que serão abordados: •    Tom de voz e linguagem corporal como fator mais importante que a fala em negociações.•    Como conquistar clientes em 4 segundos.•    Confiança de clientes em 3 aspectos fundamentais.•    Como usar objeções como oportunidades, pelo método de vendas em linha reta.•    Compreender o contexto de cada venda. A equipe da Gramadosummit divulgou a programação para o próximo dia 30 de setembro, aqui na Recreio: 13:30 às 14:00 - Coquetel de Abertura. Chegue cedo para conhecer pessoas que são sedentas por sucesso como você.14:00 às 17:00 - Master Class. Foco total nesse fenômeno que vai te ensinar a obter resultados muito além da média.17:00 às 18:00 - Entrega dos Certificados.21:00 -  Jantar com Jordan Belfort, o Lobo de Wall Street. Momentos descontraídos e informais são importantes para construir relações, fechar parcerias e trocar ideias promissoras. Uma excelente oportunidade de fortalecer ainda mais seu networking, aqui na Recreio. Reserve já o seu lugar! Ike KoetzPresidência Recreio GramadenseGestão 2018 a 2020

RELEMBRANDO

O CHÁ E A LIGA

Iracema Pazetto e o marido Nilton chegaram à Gramado em 1976, ano em que a Liga Feminina de Combate ao Câncer foi fundada aqui. “Desde que chegamos à cidade fomos convidados para muitos bailes e jantares na Recreio. Fizemos grandes amigos e essas amizades evoluíram aos nossos filhos e netos. Minha família está na terceira geração e meus netos frequentam os carnavais e eventos infantis. Organizamos a festa de um aninho da minha filha, ainda no prédio antigo e ela também debutou pelo clube. Mas como a Recreio estava em reforma, na época, o baile foi no Hotel Serra Azul. Lembro-me de um evento muito lindo quando se apresentaram as Mulatas do Sargentelli, há muitos anos. O clube estava cheio e na década de 80 foi uma novidade para Gramado! As mulatas sambando, todas muito lindas”, conta.    Chá da Solidariedade Rotary Club, Recreio Gramadense, 2015. Foto: Cibele Selbach    Entre tantos eventos, em especial, ela participa desde o início do Chá da Solidariedade, do Rotary Club de Gramado. “Fui uma das primeiras contatadas pela saudosa amiga Dona Irma Peccin e pela querida Dona Wanda Werlang. Logo aceitei participar da novidade do chá, pois quando se trata da Liga eu faço qualquer coisa! Ajudei a indicar e selecionar a lista de amigas da sociedade. Fizemos uma experiência para ver o que aconteceria quanto à adesão das convidadas. A cada ano mais pessoas se engajaram na causa. Quando se fala em Liga Feminina de Combate ao Câncer, todo o pedido que fazemos, todo o convite é aceito de imediato”, confirma.    Chá da Solidariedade Rotary Club, Recreio Gramadense, 2014. Foto: Cibele Selbach   Chá da Solidariedade Rotary Club, Recreio Gramadense, 2012. Foto: Cibele Selbach   Associação civil, sem fins lucrativos, apolítica e apartidária, sem distinção de raça, cor e religião, com caráter beneficente para assistência social. A Liga tem por finalidade assistir ao doente portador de câncer, conscientizar e educar a população com princípios de solidariedade. Trata-se de voluntariado com qualidade e credibilidade, com adesão comprometida e responsável. Presidente da Liga por quase 9 anos, ela agradece todo o apoio que teve. “Faz um bem enorme ajudar a quem precisa! Imaginem que em uma família em que o pai ou a mãe tem câncer, um para de trabalhar para cuidar do outro. O filho muitas vezes também para de trabalhar para levá-los ao tratamento que normalmente é em outra cidade. Essa doença envolve uma família inteira. Sem apoio, fica mais difícil seguirem. Os remédios são muito caros, a viagem é cara, ainda tem o custo da estadia. Existem pontos de apoio para acompanhantes do doente. Em Porto Alegre no Hospital do Câncer Infantil, enquanto a criança está hospitalizada a mãe ou acompanhante se hospeda nessa casa de apoio. Por isso é tão importante que a gente participe da Corrida pela vida pois a arrecadação vai para  o Instituto do Câncer Infantil. Em Caxias do Sul também existem casas de apoio " comenta.   Juliana Zorzanello, Iracema e Carla Pazetto. Foto: Cibele Selbach    Patricia Pazetto, Chá da Solidariedade Rotary Club. Foto: Cibele Selbach      Iracema Pazetto, Chá da Solidariedade Rotary Club. Foto: Cibele Selbach   Iracema sempre fez parte da diretoria da Liga. “Dona Irma foi uma pessoa muito importante para a Liga, assim como Adarli Raymundi que nos deixou prematuramente. Para tudo o que precisássemos estavam dispostas! É muito emocionante lembrar delas. Temos muito apoio da Sociedade Recreio, com toda a estrutura para o chá e através da pró-atividade da Eliana enquanto secretária Recreio e rotariana. Os convites para venda são praticamente esgotados de um ano para o outro e todo dinheiro é revertido para a Liga. Minha filha Carla, minha nora Patricia e a querida Juliana Zorzanello, me acompanham e se envolvem. Mesmo convidando outra patronesse, mantenho minha mesa todos os anos e assim farei enquanto existir o chá. Contamos com que novas voluntárias se engajem na causa. Às jovens com empatia e vontade de ajudar ao próximo, peço que nos procurem!”   Chá da Solidariedade Rotary Club, Recreio Gramadense, 2011. Foto: Cibele Selbach   Chá da Solidariedade Rotary Club, Recreio Gramadense. Foto: Cibele Selbach   Chá da Solidariedade Rotary Club, Recreio Gramadense. Foto: Cibele Selbach   Chá da Solidariedade Rotary Club, Recreio Gramadense. Foto: Cibele Selbach   Chá da Solidariedade Rotary Club, Recreio Gramadense. Foto: Cibele Selbach     Chá da Solidariedade Rotary Club, Recreio Gramadense. Foto: Cibele Selbach    Chá da Solidariedade Rotary Club, Recreio Gramadense. Foto: Cibele Selbach   Chá da Solidariedade Rotary Club, Recreio Gramadense. Foto: Cibele Selbach   Chá da Solidariedade Rotary Club, Recreio Gramadense. Foto: Cibele Selbach          APOIO:      

RELEMBRANDO

CHÁ DA SOLIDARIEDADE

Dona Wanda Werlang rotariana há 64 anos, agrega o espirito do Rotary voltado a ajudar as pessoas. “O Rotary de Gramado foi fundado aqui pelo Rotary de Taquara e sempre foi muito atuante e participativo. É importante divulgarmos o trabalho de uma ONG que só faz o bem em mais de 200 países do mundo. Isso mobiliza as pessoas, incentiva e mostra que se pode sempre fazer mais pelo próximo. Um milhão e trezentas mil pessoas se mobilizam a ajudar e atrair mais pessoas dispostas. Um gesto de amor não custa nada, doar seu tempo sua energia, pode fazer diferença a quem precisa”, completa.   Wanda Werlang e Ike Koetz, Relembrando na Recreio. Crédito: S.R.G.   Recreio Gramadense - Chá da Solidariedade 2017. Foto: Cibele Selbach    Além de projetos como Corpo de Bombeiros e a Capela Mortuária, inúmeras ações rotarianas ajudaram a desenvolver Gramado. “Influenciada pelas visitas que fazíamos aos clubes nas cidades do interior, tive a ideia de fazer o chá para integrar mais as pessoas aos projetos sociais. Minha grande amiga Irma Peccin ajudou-me a iniciar esta jornada. Sócia honorária do nosso clube ela sempre foi muito atuante. Apresentou-me para as senhoras da sociedade. Juntas, visitamos cada uma delas. Com muita educação, ligávamos para as pessoas, perguntávamos se podíamos ir até a casa delas e sempre fomos recebidas com um chá gostoso e com muito carinho. Na ocasião a gente falava sobre o tipo de ação que gostaríamos de fazer. Explicamos que seria um chá e cada uma enfeitaria sua mesa, traria os comes, sua louça e ficaria responsável por vender dez convites. O Rotary oferece o chá e serviço do evento. A renda, revertida para a Liga de Combate ao Câncer”, conta.   Recreio Gramadense - Chá da Solidariedade 2017. Foto: Cibele Selbach   Recreio Gramadense - Chá da Solidariedade 2018. Foto: Cibele Selbach   A primeira edição aconteceu em 2010. “Conseguimos que vinte e cinco senhoras participassem e foi um sucesso, garantindo a segunda edição! O engajamento foi mais fácil, pois cada patronesse nomeou uma amiga próxima para organizar o ano seguinte. Realizamos nove edições, todas com bastante sucesso. Ao longo do tempo surgiram muitas ideias bacanas que incrementaram o evento com atrações como desfiles de moda e conquista de patrocínios. Depoimentos de mulheres que tiveram câncer e venceram, oportunizaram para que muitas guerreiras mostrassem toda a sua força em mais uma tentativa de motivar a comunidade a se mobilizar para ajudar. Há pessoas extremamente carentes. Quem tem câncer precisa de muito amor e apoio, principalmente da família, o que nem sempre acontece e é fundamental para que se recuperem. A Liga se preocupa com isso, se dedica, com psicólogos, medicamentos, estadias, transporte. Eu sempre acompanhei a Irma nas reuniões da Liga e sou testemunha do excelente trabalho que fazem".   Recreio Gramadense - Chá da Solidariedade 2019. Foto: Cibele Selbach    "Nesta caminhada nos despedimos de algumas companheiras, em especial minha grande amiga Irma Peccin, que se envolvia em tudo. Algumas participam desde o primeiro evento como Iracema Pazetto, Liria Bertoluci, Miriam Birck e Neusa Silveira. Outras tantas mulheres maravilhosas e gabaritadas, contribuíram e ajudam até hoje a essa ideia se perpetuar. Felizmente a Eliana que é minha afilhada em Rotary, assumiu grande parte junto com outras meninas dispostas a manter e melhorar o brilho deste evento”, evidencia.   Wanda Werlang e Ima Peccin, Chá da Solidariedade 2011. Foto: Cibele Selbach   Patronesses e Convidadas, Chá da Solidariedade 2019. Foto: Cibele Selbach   Segundo a Dona Wanda, as patronesses recebem uma mesa com uma toalha branca, coberta até o chão. “Sugerimos que providenciem um trilho ou sobre toalha bonita, arranjo com flores, louças, talheres, bule e os quitutes para oferecer as convidadas. Normalmente a patronesse oferece um brinde. Atualmente são trinta e cinco mesas com onze lugares. A Liga sempre fez um trabalho muito efetivo e comovente aqui em Gramado. A sociedade sempre cooperou com a nobre causa da Liga Feminina de Combate ao Câncer. A ela devemos o sucesso do chá, que além de ajudar a entidade, promove o encontro de amigas em prol do benefício social. É uma tarde de muita alegria, com muita conversa boa e moda. É um trabalho voluntário muito agradável”, diz.   Rotarianos, Chá da Solidariedade, 2019. Foto: Cibele Selbach   Arrecadação atual conta com doações de empresas de Gramado que se solidarizam. O chá sempre foi realizado em uma quinta feira no mês de agosto, adaptado ao calendário do clube, que na maioria das vezes cedeu o espaço. “Tem muita gente boa nesse mundo! O clube conta com uma equipe muito entusiasmada e isso é muito confortante para nos motivar a continuar. Quando eu imaginei o chá evidenciando o Rotary na comunidade com o propósito de ajudar pessoas, senti que desde o primeiro evento temos conseguido com muito prazer e amizade, conquistar esse objetivo”, conclui. Tentando amenizar um pouco a saudade deste encontro organizado com tanta delicadeza e afeto, seguiremos com depoimentos e imagens durante as próximas semanas.   Chá da Solidariedade Rotary Club, Recreio Gramadense. Foto: Cibele Selbach    Chá da Solidariedade Rotary Club, Recreio Gramadense. Foto: Cibele Selbach   Chá da Solidariedade Rotary Club de Gramado. Foto: Cibele Selbach   Chá da Solidariedade Rotary Club, Recreio Gramadense. Foto: Cibele Selbach   Chá da Solidariedade Rotary Club, Recreio Gramadense. Foto: Cibele Selbach   Chá da Solidariedade Rotary Club, Recreio Gramadense. Foto: Cibele Selbach      APOIO:      

RELEMBRANDO

REZA A LENDA

Sérgio Olídio Dutra, o “Miminho”, nos últimos dois anos esteve conosco no evento REVIVAL, balançando as estruturas da sociedade e colocando muita gente para dançar no embalo das músicas dos anos 70, 80 e 90. “A Recreio é uma referência de Gramado. Desde antigamente quem veraneava ou morava aqui sempre passava pela Recreio. O REVIVAL é uma festa já consagrada dos anos 80, que traz muito do público que frequentou a Recreio e que curtiu bons momentos aqui. Muitas pessoas da região também já marcam para vir aqui”, diz.   Miminho sonorizando no REVIVAL na Recreio, 2019. Foto Gustavo Merolli   Olídio Dutra no Stubaker Champion em frente à construção da nova Recreio, 1956. Acervo pessoal     Elli Arend Dutra e equipe do Economato Recreio Gramadense. Acervo pessoal   Do final dos anos 50 até 1962, seus pais, a senhora Elli Arend Dutra e o senhor Olídio Dutra trabalhavam como ecônomos e moravam no clube. “Reza a lenda que provavelmente eu tenha nascido na Recreio. A minha avó, parteira fez o meu parto. O hospital era muito próximo, mas acredita-se que eu tenha nascido aqui e depois tenha sido levado para lá. A mãe e o pai se dedicaram ao clube por muitos anos. Faziam dos doces, os salgados e os banquetes para os jantares em casamentos”.   Churrasco Bolonistas final da década de 50. Acervo pessoal   Churrasco Bolonistas final da década de 50, antigo restaurante da Recreio. Acervo pessoal   Churrasco festivo final da década de 50, salão principal Recreio. Acervo pessoal     Miminho conta que foi na Recreio que veio pela primeira vez em uma Boate. “O Sérigo Vetorazzi sonorizava. Lembro que o Caio Tomazelli, também tocou um período. Comecei a curtir, com quinze anos. Algum tempo depois a Boate se tornou uma Danceteria. Foi quando toquei aqui. Comecei no Tênis Clube, com dezesseis anos aos sábados e tocava aqui nas sextas. Tenho boas lembranças do tempo em que curtíamos os eventos do Festival de Cinema, noite de Queijos & Vinhos. Assisti na Recreio shows como Engenheiros do Hawai, De Fala, Nenhum de Nós, Alceu Valença”, recorda-se.   Carnaval Recreio, década de 60. Acervo pessoal     Sobre o nosso famoso Carnaval, confirma: “muito aguardado, famosíssimo, muito esperado. Participei do Diz meu Cafezinho. E a grande apresentação acontecia na noite da Recreio. Muitos blocos de fora também se apresentavam aqui. De Campo Bom, Novo Hamburgo, Dois Irmãos. O baile demorava para tomar forma de novo, até que todos se apresentassem, de tanta gente que participava. Convivi muito com o pessoal do Quis um Gole, as festas eram meio juntas e bem animadas”!   Integração dos grupos de bolão Gramado e Canela, década de 70. Acervo pessoal   Outro registro que marcou época na Recreio, foram os escrutínios políticos. “Participei como curioso e lembro-me do salão muito cheio e tumultuado. Acompanhei de perto. Lembro-me do ambiente de grande expectativa quando faziam as contagens de votos. Ao redor desse prédio podíamos encontrar pessoas da cidade inteira, ansiosas pelo resultado das eleições”.   Casal Elli e Olidio Dutra recebendo as filhas debutantes Rosangela e Evelin Dutra. Acervo pessoal   Ana Henzel, Eliete Moschen, Rosangela Dutra, Ivete Sorgetz, Luiza Cardoso, 1970. Acervo pessoal   Casal presidente Euzébio e Julieta Balzaretti com as debutantes, 1970. Acervo pessoal   Uma época importante lembrada pelo Miminho foi o Karatê na Recreio. “Wado Kai, Mestre Ironori Otsuká, Professor Sadi, que aconteceu por muito tempo. Participávamos, eu, Muskito, Caetano, Celso Moreira Borges, Danglar Libardi, Luiz Carlos Engler, Paulo Zinke e outros amigos. Uma turma bem bacana! A Recreio é o clube da gente. Esse lugar onde o pai e a mãe viveram alguns anos. A cidade cresceu, desenvolveu-se e a Recreio continua muito bem lembrada e muito bem representada”, conclui.   Helmuth e Semida Sorgetz, Olídio e Elli Dutra, meados de1970. Acervo pessoal    O senhor Olidio Dutra faria 94 anos no dia 18 de julho e seu filho Miminho comemorou 60 no último dia 13. Fica aqui nossa homenagem a Família Dutra, que proporcionou tantos momentos de alegria para a sociedade gramadense. A seguir algumas imagens da família que ilustram o perído em que viveram aqui.   Carnaval Infantil na Recreio, década de 60. Acervo pessoal   Rosângela Dutra, Hortência e Ervino Schmitt, Daniel Benetti, Cibila Benetti, Heidi Arend e Dona Mística. Acervo pessoal   Nilvo Arend, Rosangela Dutra e Loni Arend. Acervo pessoal   João Carlos de Oliveira, Elli Arend Dutra, década de 50. Acervo pessoal      APOIO:    

RELEMBRANDO

FAMÍLIA GRAMADENSE

Em 1965, Jorge Magnus chegou em Gramado para administrar a farmácia do senhor Benno Ruschel. “Ele apresentou-me o clube. Na época o presidente era o senhor Maury Pasqual, grande amigo da juventude, tinha uma postura especial de proteção aos jovens. Lembro-me dele na porta, cumprimentando, recebendo a gente na chegada das festas. Na saída, sempre despedia-se com um abraço. Domingos a tarde na sacada da Recreio os jovens encontravam-se para ouvir músicas em toca fitas de caixinha, tomar refri e às vezes Cuba. O clube primava pela disciplina e comportamento e a diretoria cuidava para que não houvesse baderna. Caso alguém passasse dos limites, levava advertência e até suspensões”.    Aniversário de 15 Anos Maria Delourdes Sbabo. Acervo pessoal   Marli Drecksler, Fátima Cardoso, Maria Delourdes, Margaret Dal Ri. Acervo pessoal   Conheceu sua esposa Maria Delourdes, filha do associado senhor Miguel Sbabo. Ela comemorou 15 anos e debutou na Recreio também. Administrou o Departamento de Promoções no intuito de movimentar o clube.  “Fundamos o bloco de carnaval Crentes da Folia. Era um bloco exuberante! Representamos a Sociedade Recreio Gramadense com uma linda apresentação no clube XV de Novembro, em Campo Bom, o top da sociedade carnavalesca naquela época. Mas o baile de carnaval mais frequentado da Serra Gaúcha era na Recreio. Os blocos ganhavam um final de semana para cada um administrar as bilheterias da boate e angariar fundos, produzir fantasias e investir nos blocos para dar mais brilho ao carnaval”.   Miguel Sbabo e Maria Delourdes Sbabo, Baile de Debutantes, 1965. Acervo pessoal   Baile de Debutantes, 1965. Acervo pessoal   Na fria manhã de 18 de agosto de 1968, foi fundado o Orbis Clube de Gramado. “Por solicitação do amigo gramadense Luiz Prezzi do Orbis de Sapiranga, Clarindo convidou a mim e alguns amigos para uma reunião na Recreio. Quando chegamos, estavam o prefeito, senhor Bepe Perine, presidente Rugart Volk, entre outras autoridades. No seio da sociedade Gramadense, surgiu o Orbis Clube de Gramado que presta serviço social, amparo aos carentes e estímulo da família contribuindo com o poder público às atividades voltadas para comunidade até hoje” registra.   Casamento Jorge e Ludi, 1969. Acervo pessoal   Recém casados Jorge e Ludi na escadaria da Recreio, 1969. Acervo pessoal   Casamento Jorge e Ludi, 1969. Acervo pessoal   Jorge e Ludi casaram-se em 12 de julho de 1969. “Na época eu trabalhava na Ortopé com Horst, Rugart e Tino Volk. Convidamos mais de 200 pessoas. A comunicação não era tão simples, mas pedi que avisassem um grande amigo que recentemente estava morando nos Estados Unidos. Lembrar da presença do Dinda que veio especialmente de Nova Iorque e nossa eterna amiga Cleusa que sempre esteve conosco, emociona. Fizemos uma festa linda! No mesmo ano, fomos convidados por seu Adail e Dona Zari, Raul e Presilla para participarmos do Bloco dos Velhinhos e nos divertimos juntos por 25 anos”,  conta.   Tradicional foto de casamento na entrada da Recreio, 1969. Acervo pessoal   Mister Suéter, relembra as modas ditadas pelas malharias que se esmeravam para se destacar na vitrine do Baile do Suéter. “Foi uma grande preparação! Marlene, minha cunhada produziu o meu modelo com a supervisão da minha sogra a dona Hortênsia Sbabo e eu fui o campeão! Aqui tivemos a oportunidade de assistir a shows do Agnaldo Rayol e Angela Maria. Momentos espetaculares! Mas, na minha opinião o baile de Debutantes foi o grande charme da Recreio. Uma festa maravilhosa, com muito respeito e carinho. Minha filha Morgana debutou aqui”.   Alexandre, Morgana, Ludi e Jorge Magnus, Baile de Debutantes, 1985. Acervo pessoal  Casal unido em solidariedade. Foto: Divulgação Orbis Clube de Gramado   Jorge Magnus atuou na administração da cidade passando pela Câmara, diretoria de parques, praças e esportes e continua contribuindo com a comunidade. “Acompanho o desenvolvimento de Gramado há muitos anos. O progresso acarretou em algumas mudanças, mas acolhimento e receptividade do nosso povo se mantiveram. A Sociedade Recreio Gramadense tem esta mesma marca registrada”.        APOIO: